fbpx

Agent Carter – Como ser bela, empoderada e agente de sucesso

agent carter3

 

Marvel’s Agent Carter é uma série ambientada numa década na qual as mulheres precisavam de mais esforço para provar seu valor, seja no lar ou no trabalho. No atual cenário mundial, Peggy Carter (Hayley Atwell) carrega a grande responsabilidade de representar o poder feminino e profissionalismo na série de um dos quadrinhos mais famosos do mundo.

O ano é 1946, depois do desaparecimento de Steve Rogers e outros eventos vistos em Capitão América: O Primeiro Vingador, Carter continua solteira e trabalhando para a SSR (Reserva Científica Estratégica), devidamente disfarçada de companhia telefônica. Porém, seus atuais empregadores, resolveram ignorar seu currículo por um único motivo, ela é mulher. Apesar do título de “Agente”, Peggy é e rebaixada à missões como fazer pedidos do almoço, mas sabe usar o preconceito a seu favor em alguns momentos divertidos e eletrizantes das duas temporadas da série.

 

giphy (1)

“Eu sei o meu valor. E a opinião de qualquer outra pessoa realmente não importa.”

 

Tudo muda, quando um velho conhecido, Howard Stark (Dominic Cooper), é acusado de traição ao país por vender armas armas de destruição em massa ilegalmente. Stark coloca Peggy, a única pessoa em que ele confia, em uma missão secreta para localizar os responsáveis, livrar-se das armas e limpar o nome dele. Para ajudar com isso, Stark lhe ofereceu seu fiel amigo, o mordomo Edwin Jarvis (James d’Arcy), embora deslocado acaba ajudando bastante a heroína. Outro coadjuvante também se destaca, o agente Daniel Sousa (Enver Gjokaj) que também sofre discriminação por ter perdido uma perna durante a guerra, tratado como um “meio homem”.

 

Por que se inspirar em Peggy Carter?

 

giphy

 

Transformação de estereótipos frágeis em armas

Carter sabe se defender, mas não resume suas cenas de lutas a socos gratuitos, ela utiliza estrategicamente armas potenciais para sua defesa e controle da situação, assim como usa o preconceito a seu favor ao usar seu poder de sedução e suposta fragilidade para persuadir seus adversários.

 

Resistência e controle emocional a pressões e crises

Longe de ser um “sexo frágil”, Peggy Carter tem uma firmeza diante das pessoas quase impossível de se desarmar, mesmo nos momentos de perda de esperanças ela tem as palavras certas para manter o controle de seus parceiros. Mesmo quando precisa se impor, mantém uma postura e olhar firme diante de rejeições e piadas infames.

 

Raciocínio no longo prazo

Ela não trabalha para ser aceita ou ganhar créditos, não se importa com o pensamento dos outros se não forem construtivos, ela trabalha por paixão e ideais e usa essa carga de paciência e maturidade para desenvolver uma visão de longo prazo, afim de solucionar as adversidades com mais eficácia e permanência.

 

Flexibilidade e sensibilidade para ouvir

Um chefe simplesmente paga um funcionário para trabalhar e lhe fazer dinheiro, sem se atentar para necessidades dele ou do cliente. Peggy é uma verdadeira líder, ouve as opiniões dos parceiros e avalia com profundidade antes de tomar decisões, isso explica a confiança de Stark ao pedir sua ajuda: inteligente, forte e com sensibilidade.

 

Coletividade e liderança compartilhada

Carter não desmerece o potencial de Jardis ou Daniel, ajuda-os a tirarem o melhor de si para cumprirem sua missão, não transformando sua luta por respeito e liberdade em um luta egocêntrica.

 

Marvel’s Agent Carter foi exibido no canal Sony e está disponível na Netflix. Confira um trailer da primeira temporada e inspire-se:

 

 

Deixe um comentário